29 de nov de 2016

Síndrome do Homem Elástico

A Síndrome de Ehlers-Danlos é causada pela baixa produção de colágeno, proteína que dá rigidez à pele, articulações, músculos e vasos sanguíneos. Nos casos mais graves, a pessoa tem juntas tão fracas que não consegue andar, e precisa ter seu maxilar fixado com pinos.


Os testes genéticos em uma amostra de sangue podem confirmar o diagnóstico em alguns casos e ajudar a excluir outros problemas.

Não há cura para esta síndrome, mas o tratamento pode ajudar a gerir os seus sintomas e evitar complicações. O médico pode prescrever medicamentos para ajudar a controlar a dor e a pressão sanguínea. Exercícios para fortalecer os músculos em torno de uma articulação podem auxiliar a estabilizar e a evitar luxações. Em casos raros, a cirurgia pode ser recomendada para reparar articulações danificadas por luxações repetidas. No entanto, a pele e o tecido conjuntivo da articulação afetada podem não se curar corretamente após a cirurgia.

Como prevenir a síndrome de Ehlers-Danlos?

O aconselhamento genético pode ajudar a compreender o padrão de herança da síndrome de Ehlers-Danlos e os riscos que ela representa para os descendentes.

No Brasil existe a SED BRASIL - Associação Brasileira de Síndrome de Ehlers-Danlos e Hipermobilidade - uma associação sem fins lucrativos, de caráter social e educacional, com abrangência em todo território nacional, da qual fazem parte as pessoas afetadas pela Síndrome de Ehlers-Danlos (Doença genética hereditária do tecido conjuntivo) e/ou Hipermobilidade, seus familiares, profissionais das áreas afins e outros interessados. (Para acessar a SED Brasil, clique aqui).

Confira matéria da Record a respeito:



Confira também:

Síndrome de Capgras

Nenhum comentário:

Postar um comentário