29 de abr de 2011

Guignard - Talento friburguense

Alberto da Veiga Guignard nasceu em Nova Friburgo e por aqui viveu seus primeiros anos. Mais do que o apego natural à mãe, sua ligação com o pai era extremamente forte; com ele aprendeu a brincar, a estabelecer seus primeiros contatos com a vida, a descobrir as maravilhas da natureza à sua volta.

Em 1906, mergulhado em dívidas e sem perspectivas de melhora, o pai, ao limpar uma arma, sofreu um «disparo acidental» e veio a falecer. Acidente, suicídio, ou mesmo assassinato, ninguém jamais o saberá.

Recebido o dinheiro do seguro, sua mãe conseguiu saldar as dividas deixadas pelo marido e, um ano depois, casou-se com o barão Friedrich von Schilgen, a família foi viver na Europa, onde Guignard concluiu seus estudos elementares.

Aos vinte anos, decidiu seguir a carreira artística e matriculou-se na Academia de Munique, onde ficou por cinco anos, vindo ao Brasil em 1924, quando participou do Salão Nacional de Belas Artes.

Depois, viajou outra vez para a Europa, de onde voltou em 1929, fixando residência no Rio de Janeiro, onde se empregou como professor de pintura.

A vida de Guignard sofreu uma mudança radical em 1944, quando o prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek de Oliveira o convidou para montar uma escola de artes na capital mineira, objetivando passar sua visão moderna de arte a pintores mineiros em ascensão.

Fluminense por nascimento, mas mineiro por opção, registrou, na maioria dos seus quadros, as belezas naturais de Minas Gerais, em especial de Ouro Preto, deixando marcada vividamente, nas cores brilhantes de sua paleta, toda a dedicação que devotava às Alterosas.

(Texto de Paulo Victorino)

Confira o vídeo feito pela Luau TV

Nenhum comentário:

Postar um comentário