23 de mar de 2010

Caso Nardoni: O Julgamento

22 de março de 2010 - 1º dia

6h30 - O casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá deixa as penitenciárias em Tremembé, no interior de São Paulo, rumo a São Paulo. Eles vieram em comboios diferentes e chegaram ao fórum às 8h30. Vestidos com uniforme do presídio, os dois ficaram em celas separadas e não puderam se comunicar.

10h30 - O pedreiro Gabriel dos Santos Neto, que não havia sido localizado pela Justiça para ser intimado a prestar depoimento no júri, como testemunha de defesa, chega ao Fórum de Santana, onde é realizado o julgamento. Ele teria afirmado, em entrevista dada na época do crime, que a obra ao lado do Edifício London, onde ocorreu o crime, tinha sido arrombada na mesma noite em que Isabella morreu. Em depoimento à polícia, negou a informação.

11h15 - chega ao fórum a mãe de Isabella Nardoni, Ana Carolina de Oliveira. Considerada testemunha-chave, ela estava acompanhada da advogada Cristina Christo Leite, que também é assistente de acusação do promotor Francisco Cembranelli.

(Os depoimentos a seguir são do jurista Luiz Flávio Gomes, que está acompanhando o julgamento ao vivo)

13h49 - Promotor e advogados aparentam tranquilidade.

13h50 -O juiz não vai permitir o público no plenário até a constituição do conselho de julgamento. Formando o júri, o público pode entrar. Muito controle na entrada. Até a família do réu está com dificuldade de entrar.

13h52 - O dr.Podval confirmou que não haverá adiamento do julgamento. Um jurado apareceu de bermuda e foi eliminado prontamente.

Conversei nesta momento com o pai do Alexandre Nardoni. Ele me disse que uma diligência necessária seria a suspensão do julgamento p/ que todos fossem ao apartamento. Vamos aguardar e ver se o juiz vai ou não deferir essa diligência, juridicamente é possível!

Logo que constituido o conselho de sentença o juiz vai suspender os trabalhos para almoço, por mais ou menos 1 hora!

O juiz está decidindo sozinho no computador dele os pedidos de diligência da defesa, muitos pedidos foram feitos. O promotor não concordou com nenhum pedido. Após essa etapa, começa o sorteio dos jurados.

Iniciou o sorteio dos 7 jurados. O juiz indeferiu os requerimentos da defesa. Serão (quatro) mulheres e 3 (três) homens.

Para hoje (22) está prevista a oitiva de duas a quatro testemunhas. A primeira a ser ouvida provavelmente será a mãe biológica. Depois deve ser ouvida a avó biológica, a delegada Renata Pontes e um médico legista, sucessivamente. A delegada é testemunha comum. Os trabalhos de hoje (22) devem terminar por volta das 21 hr, pelo que disse o magistrado. O julgamento será retomado amanhã às 09 horas. Reiterando: não haverá adiamento e não é verídica a notícia de que Ana Jatobá passou mal.

17h - Os trabalhos foram reiniciados. O juiz está explicando aos jurados como funciona o júri. Foram dispensadas 6 testemunhas pela defesa e 1 pela acusação.

O pedreiro vai depor, curiosamente foi o primeiro a chegar. Irão depor: mãe biológica da vítima, o pedreiro, 2 delegados, 3 peritos, 2 médicos, 1 investigador e 1 escrivão.

17h05 - juiz entregou principais peças do processo aos jurados. Cinco jurados novos no conselho. Nunca participaram de nenhum julgamento, mas não demonstram ansiedade. Estão tranquilos. Eles têm de 25 e 40 anos de idade.

17h10 - juiz explicou o que é crime doloso, crime culposo, denúncia, pronúncia etc.

17h14: o juiz está faz o relatório do processo, autoriza a leitura da pronúncia pelos jurados e suspende os trabalhos.

19h17- Os trabalhos foram retomados.

19h30 - Iniciado depoimento de Anna Carolina, mãe biológica.

19h38 - A mãe começou a chorar no plenário e disse que se ajoelhou perante a vítima (Isabela) e o coração dela ainda batia. Alexandre dizia que tinha ladrão. Anna Jatobá teria dito a Ana (mãe biológica), que tudo ocorreu por causa da vítima (Isabella).

19h45 - Anna Carolina narrou episódios de violência anteriores envolvendo Alexandre. Várias brigas do casal. Falou do ciúmes de Anna Jatobá. Disse ter sido xingada pela mãe de Alexandre.

20h10 - Anna Carolina falou da sua separação com Alexandre e da pensão para Isabella. Disse que Alexandre uma vez jogou o seu filho no chão e que os pais de Alexandre tratavam muito bem Isabella (a primeira neta deles).

21h05 - A.C. fez longo relato sobre a personalidade de Isabella. Disse chegou no local do fato perto da meia noite. Isabella tinha uns 25 kg.

21h09 - A.C. disse que sua mãe falou com Alexandre na noite dos fatos e ele falava de um ladrão. Ele não explicava direito isso p/ sua mãe.

21h11 - A.C. voltou a chorar ostensivamente (recordando como Isabella soletrava as letras que aprendia). Jurados permanecem tranquilos, mas olhando fixamente p/ela.

21h15 - Começou a inquirição pela defesa (dr. Podval).

21h30 - A.C. disse que Isabella em algumas vezes dizia que queria ficar com o pai e seus filhos. Que seus pais eram atenciosos com Alexandre. Que ficaram apreensivos quando ela engravidou, mas que Alexandre nunca foi contra a gravidez.

21h39 - Dr. Cembranelli apresenta-se tranquilo.

21h40 - A.C. disse que Isabella adorava ir à casa do pai. Disse que,uma vez Alexandre confirmou que Jatobá tinha ciumes.

21h52 - Suspensos os trabalhos do 1º dia, mas o advogado não concorda com a liberação da testemunha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário