7 de mai de 2017

O essencial

A felicidade não está no TER. Tem gente que consegue comprar quase tudo o que deseja, mas não consegue ser feliz, não tem satisfação, muitas vezes sai adquirindo coisas, sem necessidade, a fim de preencher um vazio dentro de si, que normalmente não é preenchido.  Por que será que isso acontece, hein?

A felicidade pode estar num raio de sol, no cheiro de grama molhada, enfim, pode estar em qualquer coisa simples da vida, bastando apenas que todos esses momentos, essas coisas  simples,  sejam sentidas.

Já percebeu que um idoso geralmente aprecia as coisas mais simples da vida, enquanto um adolescente, na maioria das vezes, está no processo de querer ter roupa de marca, carro bacana, e dinheiro pra balada? Ora, todo idoso já foi jovem um dia, já passou por esse processo do Ter para ser aceito, mas com o passar do tempo, a maturidade ensinou que TER pode até ser muito legal, mas tem que ser prazeroso para valer a pena.

Na juventude, nós não nos preocupamos muito com essa história do SER (essência), nós queremos TER, pois dessa forma seremos aceitos em determinadas tribos. Eu me lembro que numa época todos os jovens tinham que ter um tênis Nike. E é claro que eu não fiquei de fora e também tive o meu. Mas ter um tênis Nike não me fez melhor, nem mais interessante, apenas me fez ser mais uma criatura no colégio a ter um Nike.

Com o passar do tempo, sinceramente, eu comecei a perceber que estar na moda, estar no padrão ditado pela sociedade, na verdade, era uma prisão. E eu não queria aquilo pra mim. E nem sei se financeiramente seria viável. Mas o principal é que eu me vi numa situação de não querer ceder ao TER para ser aceita , não queria viver nessa prisão. E isso me libertou desse mundo fútil.

Tem gente que se mata de trabalhar a vida inteira, não curte a vida e quando chega ao fim da vida, muitas vezes nem consegue desfrutar do que construiu. Acumulou tanto pra quê?

Eu não estou fazendo apologia à pobreza e nem sugerindo que ter dinheiro é ruim. A prosperidade tem que ser prazerosa e não imposta. O que se constrói por gosto, por prazer, tem outro sentido na vida. Já a ganância destrói, corrói e deixa a pessoa mais vazia e longe de si. 

Vida é sentir! Vida é o que dá prazer! Vida é sensibilidade! E quando você consegue mergulhar nessa tríade, o seu foco muda e muda para melhor, porque você se liberta dessa prisão do TER e passa a valorizar o que é essência, o SER.

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário