11 de jul de 2014

Posso te ajudar?

Toda ajuda é sempre bem-vinda? Nem sempre! Por mais boa vontade que você tenha no mundo em ajudar alguém, que você julga precisar de ajuda, primeiro, você tem que saber se essa pessoa quer ser ajudada, porque, muitas vezes, por pior que você possa ver a situação de vida desse alguém, ela pode não entender dessa maneira. A vida é feita de escolhas.

Outro dia uma pessoa me contou sobre o seu envolvimento com alguém, que ela sabe que não vale a pena, mas criou aquela ilusão de que com ela as coisas podem ser diferentes. Perguntou a minha opinião, eu dei: Cai fora! - Agora, se essa pessoa pretende persistir na situação, o problema é dela, não meu, concorda comigo?

Uma outra pessoa me contou estar passando por problemas de liderança. Já tomou ciência de que a sua equipe não está à altura do que ela precisa em termos de produtividade. Perguntou a minha opinião, eu dei: se alie aos competentes! - Mas assim como no exemplo anterior, se prefere optar pela permanência da atual equipe, o ônus será de quem, meu? Não, dessa pessoa!

É claro que eu fiz a síntese da síntese, até porque não é o meu objetivo expor a vida de ninguém, mas ilustrar o post e mostrar que, por mais que tenhamos maior clareza sobre determinados aspectos que outras pessoas não conseguem ter no momento, por esse ou aquele motivo, nós não temos o direito de intervir no livre arbítrio de ninguém, assim como elas também não têm para com os nossos problemas.

A caminhada é individual. O aprendizado é individual. Sem a lucidez dos próprios problemas, ninguém haverá de querer, ou precisar de ajuda, ainda que, num primeiro momento, ela se disponha a aceitá-la. Isso é viver!

Eu aprendi com o tempo que, para pedir ajuda, ou querer ajuda, é preciso querer muito. Mas não entenda ajuda aqui, como resolver os problemas dos outros, nem os outros resolvendo os nossos. Entenda ajuda, como aquele empurrãozinho que falta para a lucidez na resolução daquele problemão, ou a ideia que falta para um grande projeto. Mas do que isso é intromissão!

Viver bem é um direito de todos, viver mal é opcional, e quanto a isso, cada um tem o seu aprendizado, a sua lição pessoal a se entendida e praticada, através da própria experiência! Ninguém pode viver a vida ninguém, muito menos resolver os seus problemas!

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário