30 de mar de 2014

Quem é você pra você?

A vida inteira recebemos orientações de como lidar com os outros, como agir com os outros, como agradar aos outros... O manual da vida nos diz que devemos ser úteis para os outros, tudo para os outros! E isso inclui o que a sociedade vai dizer, o que a sociedade vai falar e pensar.... 

Mas e o nosso manual? Como lidarmos com as nossas emoções, como nos tratarmos, nos valorizarmos, nos colocarmos pra cima.... Não, esse manual dificilmente nos será dado na infância. A gente, ao longo da vida, vai ter que dar muita cabeçada na parede, tomar muitos tombos, para então, formarmos o nosso manual de vida.

O que você tem feito com a sua vida? Não me refiro aqui ao mundo exterior, mas às sensações que você causa a você, os pensamentos que você gera....  Já identificou uma série de coisas que te faz sofrer? Ou você é daquelas pessoas que põe a culpa no mundo por tudo que não consegue realizar, por tudo que dá errado na sua vida? O mundo é culpado das suas dores no corpo? Você não tem nada a ver com isso? Aí vem a pergunta: Quem é você pra você?

Você já parou para fazer uma autoanálise sobre a sua vida? Pensar o que te levou ao problema A, B ou C sem enfiar o mundo no meio? Culpar o mundo é o caminho mais fácil, é o que a gente já aprendeu. Agora, fazer uma autoanálise, se colocando como personagem central da própria vida, nem pensar, né?

O que acontece com a gente é de nossa responsabilidade. Somos nós que gerenciamos a nossa mente, o nosso corpo. Bom, pelo menos deveria ser assim, mas na maioria das vezes, na cabeça da gente entra tanta porcaria, que coisas boas acabam não tendo espaço.

Você pode se deparar com uma situação na sua frente e encará-la como um problema, enquanto outra pessoa pode ver a mesma situação e considerar viável uma solução. E por que algumas pessoas enxergam soluções onde você só vê problemas? Essas pessoas são melhores que você, são mais capazes? Ora, todos nós somos dotados da mesma inteligência, da mesma matéria, acontece que algumas pessoas encaram mais a realidade do que as outras. E se você é tipo de pessoa que só vive na fantasia, é claro, que visualizará tudo como um problemão, porque o seu ideal é assim ou assado, mas a realidade mesmo, você não está encarando, e ela pode ser bem mais simples do que se possa imaginar, basta vivê-la.

Todo mundo quer resultados daquilo que faz na vida. Isso se chama prosperidade.  Todo mundo quer ser feliz, todo mundo quer ter um conforto financeiro... ok, isso é normal, isso é ser próspero. Isso é o curso natural. Ou você conhece alguém que tenha o maior orgulho de dizer que nasceu para sofrer, nasceu para ser miserável ou viver cheio de dores pelo corpo? Absurdo, né?  Mas se você parar bem para pensar, fizer uma autoanálise, você vai quantas burradas fez, e ainda faz, por preferir viver na ilusão, na imaginação, do que na realidade.

Se você semeia trigo, não pode esperar colher feijão. Isso é um fato, não é? Mas viver na ilusão é semear trigo esperando colher feijão. E como isso é impossível, as coisas começam a não acontecer, começam a não dar certo, e por aí vai! Ou seja, se você não está bem com você, você  vai esperar que coisas boas aconteçam na sua vida? Que lógica é essa?

Em algum momento da vida, você já ficou com uma pontinha de inveja, aquela raivinha danada, de ver uma pessoa próxima conseguindo as coisas, praticamente caindo do céu, tudo acontecendo na vida dela, tudo fluindo bem... e aí você olhou para a sua vida e pensou: Que merdelê! Por que aconteceu tudo de bom para a pessoa e para você a vida ainda está atravancada? Sabe o que é isso? Isso é a sintonia que a pessoa está consigo mesma. Ela está com presença de espírito,em sintonia com o seu espírito, então, as coisas realmente acontecem para essa pessoa (pelo amor de Deus, não vamos confundir aqui espírito com religião. O espírito aqui é o seu EU interior, sua plenitude). 
Uma pessoa que só se coloca pra baixo, que adora se fazer de coitadinha para ganhar aplausos, de fazer a lindinha pro mundo, pode almejar conseguir prosperidade na sua vida de que jeito? Ela não assume a sua vida, não assume os seus problemas, não assume os seus erros, porque tudo é culpa do mundo, menos dela, e ainda quer que a sua vida seja próspera? Isso não é contraditório? Ou essa pessoa realmente acredita que a felicidade está fora e não dentro dela? 

Quando a pessoa chega ao ponto de se esquecer e se anular, enquanto não tomar as rédeas da vida e encarar a realidade, vai bater cabeça na parede, vai ao fundo do poço, e aí sim, quando apanhar bastante da vida, e não aguentar mais, vai dar um jeito rapidinho de sair de tal situação, encarando a realidade. Não é assim que a vida nos ensina? Por isso é que há pessoas que prosperam mais que outras, porque elas preferem não bater cabeça, mas encarar a realidade. Encaram os problemas como desafios e não obstáculos.

Tá, mas não basta apresentar problemas, vamos tratar de solução também. Primeira coisa: Se coloca pra cima, levanta esse queixo, corre lá no espelho e diz que você é uma pessoa maravilhosa. Só de fazer isso, você já vai sentir uma coisa diferente dentro de você, por mínima que seja. Da mesma forma que você se fez um elogio, elogie alguém também. Algo como: 'poxa, como vc está bem! Que cabelo bonito! - O que você emitindo de bom para você e pro mundo, certamente, é o que você vai colher.

Pratique isso, pense nisso e uma ótima semana para você!

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário