7 de dez de 2013

O segredo da longevidade

Todos nós estamos comprometidos com a evolução, querendo ou não, porque a vida é um compromisso constante de transformação e renovação. E nós evoluímos à medida em que não nos deixamos prender por sentimentos pequenos, por problemas menores e também à medida em que deixamos de colocar a culpa nos outros pelas nossas falhas e frustrações.

Caminhar no ritmo da vida é entender que as coisas boas e ruins vão pintar pelo meio do caminho, mas cabe a nós lidarmos da melhor maneira possível com as questões, para que possamos evoluir. Vamos parar com esse negócio de que a vida tem que estar a nossa disposição. Nós é que estamos a serviço da vida para aprendermos com ela e evoluirmos! Caminhar com a realidade não é esperar que as coisas caiam do céu, que o mundo nos mime. Caminhar com a realidade é saber lidar com aquilo que a vida oferece, aceitar o desafio e buscar a transformação a partir daí.

Viver é dar mais qualidade ao nosso interior, porque o exterior será a projeção do nosso íntimo.

A vida é um renovar-se diário. E não é você que determina até quando irá se reinventar. A vida pode te fazer repensar qualquer coisa aos 20, 40, 70... a qualquer momento, porque a cronologia nada tem a ver com o processo de evolução. A evolução é constante. Essa ideia de se prender à idade é  coisa de gente que ainda está presa ao materialismo. E quando eu comento aqui em materialismo, não  entenda como dinheiro, mas à carne, à matéria.

Se você não está num caminho legal, tem ciência disso, e não sai, não são os outros que vão te tirar, e não foi porque a vida quis assim, mas você que quer continuar a viver na ilusão, e não na realidade. 

Pare um momento para uma análise: Quantos tombos na vida, você  já não tomou para que, em seguida, as coisas começassem a melhorar pra você? Quantos não te serviram de lição? E porque tem gente que continua tomando tombos, mas não aprendem? Se você parar pra pensar, você deixou a arrogância de lado, quando tinha que deixar, e colocou a humildade na frente, reconhecendo os seus erros. E foi a partir daí que as coisas começaram a se abrir pra você. Na base da arrogância, com certeza você nunca conseguiu nada! E muita gente continua tomando tombo e paulada da vida, porque continua na arrogância. Ora, se elas querem assim, a vida lhes concederá o direito de viverem assim. Não é isso que chamamos de livre arbítrio?

Observe, por exemplo, a história das pessoas que chegam aos 90, 100 anos. Estas pessoas provavelmente atingiram a longevidade com uma cabeça ótima, com ânimo, tocando a vida em frente. Infelizmente, essas pessoas são poucas. Já aquelas que se ligam ao lado materialista, que se preocupam com o que fulano come, o que beltrano veste, se este bebe, se aquele fuma... enfim, são as que existem aos montes, deixam de se comprometer com suas próprias evoluções, não se renovam e, pouco provavelmente, atingirão a longevidade, ou se conseguirem chegar à terceira idade, chegarão um caco, e sabe o motivo? É porque estas pessoas estão envolvidas em sentimentos pequenos, e estando nesse processo, elas se negam ao processo de renovação, se fecham. Ou você já conheceu alguma pessoa rancorosa, arrogante etc de bem com a vida?

A longevidade está intimamente ligada à evolução. Quanto mais se vive, mais se aprende, mais se evolui.

A vida nos traz uma série de experiências. E a gente não pode, aliás, nem temos o direito de fazer a lindona ou lindão pra vida, de se revoltar com ela. O que se apresenta a nossa frente é para que aprendamos e possamos evoluir. Você não vai passar para a próxima etapa da vida, tal qual nesses  joguinhos virtuais, enquanto você não vencer a etapa pendente. Você pode até querer, mas não vai conseguir. Nós vamos vencendo e evoluindo à medida em que conseguimos lidar e superar os nossos problemas, que nos foram colocados porque nós precisávamos deles, do contrário, não evoluiríamos. Ficar de mal com a vida, fazer um dramalhão mexicano, nunca resolveu os problemas de ninguém. 

Todo dia é dia do novo, todo dia é dia de se transformar. E quem se transforma e se reinventa, sempre que necessário, a qualquer tempo, a qualquer momento, vai ter uma qualidade de vida muito melhor e muito mais prolongada. 

A mocidade é uma etapa da vida, mas a juventude é um estado de espírito, portanto, pode ser eterna.

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário