27 de out de 2013

Não seja um pacote

Você chega em casa e encontra um pacote encostado no canto da sala. Se aproxima, vê que o pacote pode até ser bonitinho, mas não serve pra nada, está vazio e ocupando espaço. O que você faz? Joga fora! Não é isso que a gente faz com aquilo que não tem mais função na vida da gente? A gente não se livra? Pois é!

Assim também é nos relacionamentos. Muita gente não entende porque os relacionamentos acabam. E geralmente, atribuem o fim sempre ao outro, nunca a si.

O relacionamento marido e esposa. Não bastasse o 'jogar na cara', que muitos casais parecem ter prazer em fazer, a mulherada, em sua maioria, quando se casa, se impõe  a viver numa prisão, mudando seus hábitos de vida, da noite pro dia, porque mulher casada é diferente da solteira.  

Quem nunca teve uma amiga que se afastou, porque esta começou a namorar, casou e 'virou outra pessoa'? Lindo, não é? O mais lindo é quando ela começa a cobrar do parceiro a vida que ela mesma fez questão de abdicar.  E no final, claro, toma o clássico pé na bunda.

Eu perco as amigas, mas não deixo de fazer a reflexão: A pessoa se destrói, se anula, vira um pacote pra agradar o 'mozão', depois leva um pé no traseiro, e eu ainda vou bater palmas pra ela? Tenha dó...de mim e do 'mozão', que deve ter perdido muitas noites de sono pensando em como se 'livrar do pacote'.

A vida não vem com manual de instrução, ok! Eu já fui pacote, acredito que você já tenha sido, mas uma vez na vida basta, né? A lição tem que ser aprendida!

Mas também tem o caso do alfa, que entra naquela de criticar, dominar a tonta, que cai, porque é cabeça fraca, se deixa dominar, aceita as críticas do parceiro e vai tomar o pé no traseiro, mais cedo ou mais tarde. Por que, vamos combinar, o que uma mulher que se deixa dominar, uma cabeça fraca, tem a oferecer para o seu parceiro? Nada! E também vale a crítica ao 'mozão', que destruiu a autoestima da mulher, ao passo que poderia potencializar o que de bom há nela para os dois crescerem juntos. Assim acabam os casamentos.

Ah, Monique, mas ele tem muito ciúme de mim! - E ciúme é o quê? Cobrança. Você, ás vezes, nem fez nada e o 'mozão' já te fez se sentir culpada pelo que você não fez! Tonta!

Gente, um relacionamento para dar certo tem que ter diálogo. E desse diálogo tem que haver um consenso de ambas as partes, não só de uma! E um primeiro passo é não se cobrar demais, nem cobrar demais da outra pessoa. Ninguém é perfeito, nem ninguém vai se tornar o modelo de perfeição da humanidade. Portanto, para se viver bem dentro de casa é preciso que o casal puxe pelo lado positivo um do outro, não o negativo. O negativo leva a brigas, discussões, traições, um monte de coisas negativas! O diálogo é a base!

A gente consegue se realizar na vida, no trabalho, se projetar na vida social,a partir do momento em que a gente recebe motivação dentro de casa. Um ambiente ruim em casa vai fazer mal, não só ao casal, mas também aos filhos, às pessoas próximas...

Se você não está bem com você, vai primeiro resolver a sua cabeça, pra depois pensar em arrumar alguém para viver contigo. Por que depois, você vai virar um pacotão dentro de casa e ainda vai colocar a culpa na pobre da criatura que foi viver com você. Uma pessoa bem resolvida consigo vive bem com qualquer outra pessoa, porque vai estar segura de si, não vai se deixar dominar, vai ser capaz de entender o seu parceiro, e não vai viver num relacionamento infernal à base de cobranças.

Na vida existem conflitos, claro. Mas se dentro de casa, a gente começa a criar inimigos, imagina como não criaremos tantos outros na rua! É por isso que tem muita gente que vive em meio de rolos, de intrigas, de fofocas, simplesmente, porque dentro de casa, ela já criou esse ambiente de intrigas. Na rua, então...

Mas voltando ao pacote, não adianta, minha cara amiga, você achar que se livrou de um parceiro que te fez de pacote, porque ele não prestava, e acreditar que vai arranjar coisa melhor. Não vai! Pois não foi o parceiro que te fez de pacote, mas você mesma que se deixou dominar. E como você tem que se carregar para um próximo relacionamento, se não mudar, vai virar um pacote de novo, vai estragar mais um relacionamento e ainda vai colocar a culpa no próximo 'mozão'!

Um relacionamento se solidifica à base da parceria, não da competição, da cobrança, da culpa, da anulação, muito menos da traição. Um relacionamento pra dar certo, é preciso que, de ambas as partes, as pessoas estejam dispostas ao diálogo, à franqueza... ninguém se anula, nem anula ninguém. Quem investe num relacionamento na base da parceria vai ter um amigo, um cúmplice, pro resto da vida.

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário