1 de set de 2013

A Onda - O Filme

Ao contrário do meu marido, eu não sou nada *cinéfila. É por isso que nunca chego por aqui com dicas de filmes, porque raramente eu consigo ver um até o final (geralmente, eu durmo antes) ou mesmo quando consigo, o filme não é lá essas coisas. Ah, tem aqueles também que eu me esqueço completamente do título (aí, realmente, fica difícil de indicar!).

Mas hoje, eu vou indicar um. É um filme alemão sensacional, de 2008, que se chama a Onda (DieWelle).

O filme é baseado numa história real, onde um professor, certo dia, propõe aos alunos de determinada turma, uma experiência, mostrando como surge um sistema ditatorial. Um pedaço da sinopse:

 Incapaz de responder aos questionamentos de seus alunos sobre como o povo alemão teria sido capaz de apoiar as atrocidades nazistas, o professor Ron Jones decidiu realizar um experimento sociológico. No período de uma semana, transformou sua classe de 30 alunos em um verdadeiro movimento fascista, com direito a uniforme, saudação e parafernália ideológica. Começando com simples exercícios de como sentar-se apropriadamente nas carteiras, Jones passou a impor-se como uma figura autoritária em sala de aula. Os mais altos valores por ele defendidos passaram a ser comunidade, força e, sobretudo, disciplina.
Em menos de três dias não apenas percebeu um aumento da eficiência de sua turma, como o número de presentes ampliou-se, mostrando que muitos jovens estavam interessados em ingressar no mundo de proximidade familiar que ele havia criado. 
O nome escolhido pelo professor para batizar o grupo de jovens: a Terceira Onda, numa referência à crença mítica de que a terceira onda de uma maré é sempre a mais forte. Ao chegar quinta-feira, Jones percebeu que o experimento parecia estar saindo ao controle, com jovens apresentando-lhe denúncias uns contra os outros, pelo fato de acreditarem que certos colegas não estariam seguindo com dedicação suficiente os preceitos da Onda. O professor anunciou então que todos fariam um comício no dia seguinte, afirmando que eles eram apenas uma pequena parte de um movimento de amplitude nacional, que já teria inclusive um candidato à presidência, o qual faria um discurso em cadeia de televisão. Na sexta-feira, enquanto os militantes juvenis aguardavam um sinal de transmissão que jamais viria, Jones revelou-lhes que todos haviam participado de uma experiência sobre como o fascismo poderia triunfar no seio de uma sociedade.
O sinistro episódio sugeria não apenas que os jovens estariam mais sujeitos a estar sob a influência dos ideais fascistas, por conta das angústias que determinam esta fase do processo de amadurecimento, mas também que um simples conjunto de crenças políticas, centrado nos pressupostos de “comunidade” e “disciplina”, poderia ser capaz de conquistar o apoio popular. 
Gente, é uma verdadeira viagem de como se faz uma lavagem cerebral, como se manipula tão facilmente!
Você não terá dificuldades em encontrar o filme dublado ou legendado! Vale muito a pena assistir! 
Fica a dica!
*cinéfila - pessoa que ama, adora e assiste a todos os filmes - bons ou ruins. Tem grande interesse pela arte do cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário