23 de jun de 2013

O gigante acordou, mas não pode voltar a adormecer

Em meio aos protestos que tomaram conta do país, também pudemos perceber muitos discursos oportunistas. É preciso que tomemos muito cuidado com esses discursos, por exemplo, dos que pregam a prática antipartidarista. Um senador da república, essa semana, de forma populesca, saiu com essa pérola. O discurso do antipartidarismo foi muito usado durante a ditura. Atenção!

Por que existem os partidos políticos? Para unir pessoas que se alinham em propostas  semelhantes, têm ideias semelhantes e trabalham em suas bases com projetos que visem a favorecer o coletivo, ou seja, o povo. É bem verdade que o conceito partidário foi um tanto banalizado. Hoje, muitos políticos se filiam a partidos políticos sem o  alinhamento à sigla, mas isso não deve ser tomado como via de regra, mas sim exceção.

Atualmente, no Brasil, há 30 partidos políticos registrados, e tantos outros em vias de registro definitivo junto ao TSE. É bem verdade também que muitos almejam o projeto de poder (o poder do homem sobre o homem), através de suas siglas. Mas um partido, antes de tudo, deve ter um projeto de governo, pensando nas próximas gerações.

São várias as formas de exercícios de poder de um indivíduo sobre outro; o poder político é apenas uma delas.

Ir às ruas é um exercício lindo de democracia, mas não é o cumprimento de uma missão, pelo contrário, é a aceitação de uma missão dada. E missão dada deve ser missão cumprida. E o cumprimento se dá no acompanhamento da política no dia a dia.

Nesses útlimos dias tenho me enchido de orgulho dessa nação, que 'botou pra fora' o que estava entalado na garganta. Sinceramente, não conseguia conceber a ideia do povo aceitar passivamente tantos investimentos na África, tanto investimento no futebol, com o povo passando fome e sem um tratamento digno na saúde. Mas esse clamor popular foi a ponta do iceberg, porque o que gera isso tudo está na base, na forma como se pratica a política nos dias de hoje apostando na inércia, na impunidade e na passividade.

O gigante acordou, mas não pode voltar a adormecer em berço esplêndido. Se é para ir à luta, a batalha está apenas no começo.

E aí, você aceita essa missão?

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário