31 de dez de 2012

O Chamado de 2013

Eu não gosto do clima natalino. Considero nostálgico, triste, melancólico. Do ano novo, eu gosto. A virada do ano traz aquela sensação de tudo novo, vida nova, recomeço, novas oportunidades, novas chances... esperança.

A cada ano a gente recebe um chamado, que nos trará  novos aprendizados e novas lições.

2012 para mim foi um ano difícil, doloroso, porque foi o ano em que tive que me despedir do meu pai, que cumpriu o seu chamado aqui no plano físico. E todos os dias, desde então, passaram a ser dias de aprendizado para mim.

Também foi um ano que, por estar com a energia em baixa, tive aborrecimentos desnecessários, passei por situações desnecessárias, bem como me deparei com pessoas desnecessárias.

Em agosto, meu companheirinho de quatro patas se foi, meu poodle Gregório. Eu  tenho certeza que ele foi feliz, porque foi muito bem tratado aqui em casa.

Mas como eu sempre digo, só há duas opções na vida: Sentar e chorar ou levantar e seguir adiante! - Sentar e chorar é necessário muitas vezes, mas não dá para ser para sempre. O dia nasce todos os dias independentemente da nossa vontade. E a gente tem que fazer valer a nossa existência, da melhor maneira possível, de preferência.

E aí, se eu não comecei a fazer planos no início de 2012, pelo menos no fim eu comecei a tentar reescrever a minha história. Sempre há tempo, até porque, como o mundo não acabou, só para quem se foi, não existe data para se fazer planos ou projetos. O melhor dia é sempre HOJE.

O que eu espero de 2013, eu não sei, talvez eu não espere nada, vou deixando acontecer. Enfim, como diria Marina Lima, "Vou seguir o chamado... E onde é que vai dar, onde é que vai dar? Não sei..."



Feliz 2013!

Nenhum comentário:

Postar um comentário