23 de nov de 2011

O bom, o bem, o positivo

A vida é feita de altos e baixos, tal qual uma roda gigante - um dia estamos lá em cima, no outro, lá embaixo. Sabe aquele momento na nossa vida em que a roda gigante está lá embaixo? Pois é, todos nós passamos por uma fase assim, mas o importante é como iremos e/ou queremos sair dessa situação. Explico!

Numa dessas fases delicadas, perco o sono no meio da madrugada e ligo a TV, onde vejo um japonês comentar que sempre agradecemos e alimentamos aquilo que é ruim, não o bom. Como assim? Como pode alguém, em sã consciência, querer ficar ou permanecer numa maré ruim? Resolvi prestar atenção na história, e ao final, entendi a mensagem e passei a praticá-la no meio dia-a-dia, desde então.

Digamos que há uma pessoa doente na família! Uma situação para lá de chata (sei bem o que é isso). Como normalmente nos comportamos? Ficamos aflitos, tememos o pior, pedimos a Deus pela saúde dessa pessoa, mas sempre com o foco na doença, e não na saúde. Se a gente foca a doença, como podemos almejar a saúde?

Bom, dentro desse exemplo, se temos alguém na nossa família com problemas de saúde, qual mensagem devemos passar a Deus, ao Universo, enfim...? O bom, o bem, o positivo. Então, ao invés de ficarmos pedindo pela cura, devemos agradecer pela saúde dessa pessoa, já acreditando que essa pessoa esteja em pleno processo de cura! Ou seja, "Deus, agradeço pela cura de fulano, agradeço pela sua boa saúde..." Algo nesse sentido, pois se você pede o que há de melhor, o melhor há de vir para você.

Um outro exemplo? Há aquelas pessoas que ficam curtindo a sua má fase: "Ah, como eu sofro", "Meu Deus, estou me sentindo muito mal", "Ai, Jesus, que dor na perna, no braço, no corpo todo...". Como é que alguém emitindo tanta energia negativa, pode querer o contrário? Não há de ter, porque o inconsciente dessa pessoa está trabalhando para armazenar a informação negativa que ela manda para a sua "cabecinha".

Deus nos deu o livre-arbítrio de escolhermos a vida que a gente quer ter. Não é Deus o injusto, nós é que escolhemos o nosso caminho, a nossa forma de viver. Se a gente escolhe viver de forma positiva, positividade haveremos de ter. Agora, se escolhemos viver nos lamentando, choramingando e mal dizendo a nossa vida, assim viveremos.

Escolha a vida que você quer ter! Escolha ser feliz!

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário