28 de ago de 2014

Viva bem sem dramas!

Sentimentalismo não é um sentimento da alma, mas da cabeça. A gente aprende a se tornar sentimentalista com a família, com os amigos, enfim, no ambiente em que vivemos. As pessoas sentimentalistas, portanto, tendem a ter mil problemas, porque acreditam nos seus dramalhões, cultivam e, consequentemente, se distanciam da realidade. A realidade para os sentimentalistas é que soa como irreal. Mas como a vida não está aí para atender aos anseios pessoais de ninguém, e sim para ser vivida como ela é e como se apresenta, muitas pessoas tendem a sofrer além da conta, por conta da carga de dramaticidade que colocam em suas vidas (e às vezes nem são vidas tão dramáticas assim).

Por vezes, os sentimentalistas se deixam levar pelas idéias dos outros, pelas opiniões dos outros, enfim, tudo dos outros, e não vivem os próprios sentimentos. Ora, cada ser nesse planeta é único e pensa de forma ímpar.  Às vezes você acha uma pessoa antipática, por influência dos outros, não por sua própria opinião, porque se você for parar para pensar e observar tal pessoa, lá no fundo dos seus pensamentos, você pode chegar à conclusão que, na verdade, aquela pessoa nem é  nada daquilo que você imaginava (o que a gente imagina é ilusão e não corresponde à realidade).  E isso reflete o sentimento da alma, aquele sentimento que está guardado lá no fundão das nossas gavetas, e que é nosso, único e geralmente não é hostil.

Ofensa, mágoa, rancor, ódio... todos esses sentimentos negativos não fazem parte do nosso EU, da nossa alma. Ninguém nasce odiando alguém, ela aprende a odiar, concorda comigo? E quando as pessoas aprendem a cultivar sentimentos negativos, elas passam a sofrer, porque não entendem o motivo de outras pessoas não as aceitarem, não gostarem delas, não concordarem com tudo o que elas dizem.... Enfim, elas passam a viver num drama criado pelas neuras das suas cabecinhas.

Pior do que fazer da vida um drama é levá-lo para o campo dos relacionamentos. Quando a gente realmente gosta de alguém, sem sentimentalismos, mas de forma verdadeira, a gente se sente bem com a pessoa, se diverte com ela e podemos passar um tempão sem vê-la, que os sentimentos continuam intactos. Aliás, a verdadeira amizade vem do encontro de almas. Quem é amigo de todo mundo, não é amigo de ninguém.

E o que dizer do sentimentalismo na vida amorosa? A coisa já começa quando as moças, ainda hoje, ‘precisam’ arranjar alguém para se tornarem alguém. Olha que coisa, em pleno século XXI! Ainda há a cultura de que se a bonitinha não tiver alguém, ela não será ninguém, será a tiazona solteirona que ninguém quis.  Bom, na verdade a mulher que cresce com esse pensamento, e acredita nele, não é nada mesmo. Onde já se viu uma pessoa precisar de outra para existir? Soa até a dramalhão mexicano.

Enfim, ter sentimentos, ser sensível, não quer dizer ser sentimentalista. Os verdadeiros sentimentos transbordam da alma. O sentimentalismo é uma projeção fantasiosa da cabeça!

Viva bem, fique bem, sem dramas!

Um abração!

Um comentário:

  1. Feliz quinta-feira!
    Querida Monique, que imagem sensacional, claro e o texto bem real.
    Saudades.
    Beijinhos
    Nicinha

    ResponderExcluir