2 de mar de 2014

Autoconhecimento para melhor qualidade de vida

A vida é o que a gente sente! E quando a gente passa a prestar mais atenção na gente, nós conseguimos mudar a nossa vida e começamos a nos sentir melhores. Não tem aquele frase que diz, quando a gente se transforma, o mundo a nossa volta se transforma também – pois é, essa é a ideia.

Preste atenção em si e várias perguntas encontrarão suas respostas. Sim, porque não é mundo que tem resolver os seus conflitos interiores, é você! O mundo não irá em busca de suas repostas para você. Ok, seria o mais fácil e cômodo, mas não corresponde à realidade.

Você começa a se sentir a uma dor, desenvolver uma doença, vai em busca de um profissional, o que deve ser feito, saliento, mas o que você fez para produzir essa dor? O nosso corpo é uma máquina gerenciada pelo nossso cérebro. Se o cérebro falha em algum momento, o corpo padece. Mas quando a gente começa a buscar a consciência de quem somos e como agimos perante o mundo, o nosso corpitcho tende a pagar menos pelas neuras da nossa cabecinha, que adora fantasiar mais do que viver na realidade. Isso se chama autoconhecimento.

Aprender a ter noção dos limites é uma forma de autoconhecimento. Por exemplo:  Resolver os problemas dos outros ( já cheguei até a comentar por aqui) é perder a noção dos próprios limites. Como alguém que não consegue resolver os próprios problemas, pode ter a pretensão de querer resolver os problemas dos outros? A pessoa enfia na cabeça que precisa resolver os problemas dos amigos, dos parentes, dos filhos, enfim. A pergunta é: Será que ela tem condições para tanto? Uma coisa é auxiliar, outra é se colocar na linha de frente e dizer que resolve qualquer assunto. Quem vive assim, vive na ilusão, portanto, fora da realidade.

Nós não somos responsáveis pela vida de ninguém, e nem ninguém é responsável pela nossa. Nem pai, nem mãe, nem mozão, nem benhê, ninguém! Por isso é que pais que criam os filhos dentro de uma redoma de vidro, com tudo na mão, sem ensinar o valor das coisas, não podem reclamar mais tarde quando a sua prole chegar à vida adulta com um monte de problemas. Afinal, os pais contribuíram anos e anos para que seus filhos fossem muito mimados, a ponto de acreditarem que o mundo exterior fosse o reflexo do seu castelo encantado. Sabemos que não é! O mundo não está aí para nos servir, nós é que estamos nesse mundo para desfrutarmos do que ele tem a nos oferecer. 

Uma das formas de nos conhecermos mais é entendermos que o NÃO também é resposta e também contribui para a nossa evolução.

Meu saudoso pai raramente me dizia Não, mas quando ele dizia, eu não questionava. Foi um dos maiores aprendizados que tive. Hoje, eu vejo pessoas que não entendem o sentido da palavra não.  Por exemplo:  Alguém chega pra mim e diz: Monique, vamos tomar um café na próxima semana? Se eu respondo não, eu penso que o assunto está encerrado. Não é não! Mas tem gente que ignora e insiste no convite para a próxima semana, próximo mês... Nesse caso, analise, não é o meu não que é agressivo, mas a negativa da pessoa em ignorar uma vontade minha, para que eu satisfaça a dela. Tem cabimento? A meu ver, não tem!

A vida não precisa aprender com a gente, a gente é que tem que aprender com a vida. Quando a gente chegou a esse mundo, as regras já estavam aí, a Terra já girava, as coisas já tinham um motivo para existir e nós viemos para dar a nossa contribuição, não para fazermos do mundo a nossa sala de visitas. É preciso ter base e fundamento para encarar a vida. Base e fundamento fazem parte da realidade, não da ilusão.

A realidade é muito sincera. Enquanto a ilusão, não. Por exemplo, quando você fica com sono, isso é uma realidade do seu corpo, não é uma ilusão. Ou você está com sono ou não está! Da mesma forma, uma mulher está grávida ou não está! E aí você pode estar pensando, ah, Monique, mas você está comentando sobre óbvio! Sim, estou! Mas quantas vezes por dia, você vê o óbvio passar pela sua frente, mas prefere a ilusão? Vai dizer que você nunca quebrou a cara achando que as suas fantasias iam resolver os problemas, enquanto a realidade era outra completamente diferente? Botou a ilusão na frente da realidade, se deu mal, infelizmente! Mas espero que tenha aprendido!

Quando compreendemos o que somos e como somos, nós conseguimos muitas coisas da vida, mas para isso é preciso o aprendizado, através da modéstia e da humildade. Lembrando que modéstia e humildade nada têm a ver com o fato de se diminuir, mas de ouvir, refletir e aprender. 

A vida é um constante aprendizado. E quanto mais aprendizado buscamos, quanto mais absorvemos conhecimento, mais capacidade de autoconhecimento vamos adquirindo e, consequentemente, mais qualidade de vida passamos a ter, porque passamos a encontrar mais respostas para as nossas dúvidas e menos as jogamos para que o mundo as interprete e as responda por nós!

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário