14 de abr de 2013

Sapatos exóticos

Os crocs podem até ser confortáveis, mas são feios p/caramba e só devem ser usados em casa, ok? Mas os crocs não estão só, pois na história dos sapatos há cada coisinha que já foi inventada!!!!

No século XVIII, as Maiko, as aprendizes das Gueixas, já usavam plataformas. Os Okobo poderiam vir em forma de sandália (como na foto) ou como tamancos.

Em 1700, a moda ditava que os homens deveriam ter pernas bonitas e fortes que acompanhassem as calças curtas e bufantes e as meias justas. Então, para parecessem mais atléticos, foi difundido o sapato com salto, que também vinha para compor o restante do look. E quem mais difundiu essa moda foi o rei Luis XIV que, até hoje, dá nome à tendência dos saltos (porém, saltos femininos).

Para proteger da lama, a mulherada na Idade Média, no Líbano, tinhas o hábito de usar esse tipo de chinelo chamado de Kabkabs. (é um pouquinho alto demais, não? Um tombo desse salto, hein!)

No meio do século XX, as mulheres finlandesas usavam esses sapatos feitos com casca de árvore diariamente, com tecidos enrolados nos pés que serviam como uma espécie de meia. (pensei na farpa! Rs...)
Hoje existem apenas alguns poucos exemplares de Chopines em museus – e se você analisar bem o sapato, não é difícil imaginar porque eles não fazem sucesso até hoje. Eles surgiram na renascença e, assim como outros sapatos da lista, sua altura vertiginosa serve para proteger os vestidos e os pés das moças. Eles eram muito caros e, com seus 18 centímetros de salto, faziam com que as mulheres mais ricas pudessem se destacar.

Com informações do Hype Science

Nenhum comentário:

Postar um comentário