8 de nov de 2012

Moça que leiloou a virgindade diz que não está se prostituindo

Ingrid Migliorini, mais conhecida como Catarina Migliorini, jovem que leiloou sua virgindade, revelou que ainda não teve a primeira relação sexual com o joponês que pagou R$ 1,5 milhão por uma noite com ela.

Hoje pela manhã, ligo a TV e Ana Maria Braga anuncia que iria conversar com a moça, que adiou o seu 'evento' com o japonês, para poder vir desfilar no Fashion Rio, o que acabou não acontecendo, em face da grande rejeição da imagem da moça ao desfile.

Conversando com a apresentadora, a moça disse que não encara a sua atitude como prostituição, que prostituição é algo bem mais amplo, como fazer filme adulto, posar sem roupa etc etc. Comentou ainda que, embora o valor integral do leilão vá ficar com ela, essa experiência faz parte de um documentário, que deverá estar pronto até o ano que vem. Acrescentou ainda que, ela tem toda a liberdade de desistir do ato a qualquer momento.

Bom, é fato que a moça é dona do seu corpo e faz dele o que bem entender, desde que não prejudique a outrem (isso é a Lei Universal). Mas me chama muito mais atenção, o fato dela ter sido tão autêntica ao tomar uma atitude ousada, e agora com a repercussão, não estar 'bancando' a sua decisão, tentando buscar sinônimos e justificativas para um tipo de negócio que existe desde a época de Cristo.

Toda ação gera uma reação! O fato dela querer 'alugar' o seu corpo, em alto estilo, dentro de um aviãozinho fretado, não a faz diferente de qualquer profissional que 'aluga' o seu corpo-a-dia, para poder prover o seu sustento. Ou faz?

Não julgue, para não ser julgado! Me parece o caso dessa moça, que nas entrelinhas, julga o ato que ela mesma está prestes a concretizar!

Vai entender o ser-humano!

Nenhum comentário:

Postar um comentário