19 de abr de 2012

De babá do Fidel

Depois de mandar castrar o meu doce monstrinho Vicente, na terça chegou a vez do Fidel, meu cocker spaniel.



Ambas as cirugias foram bem-sucedidas. A do Fidel mais ainda. O que não tem ajudado muito é o seu gênio, pois o bichinho é elétrico e já conseguiu retirar parte dos pontos. E hoje pela manhã, lá fomos eu e meu marido levá-lo ao veterinário para desencargo de consciência. Tudo ok, apesar do bichinho chorar, resmungar, chorar de novo... Sem contar o incômodo de usar aquele colar, tipo abajour, que segundo me informaram, chama-se colar elisabetano.

Bom, quando os animais não se entendem, e para garantir a própria integridadade física deles, a castração acaba sendo a melhor opção. Mas engana-se quem pensa que castração é algo tão simples, como se divulga por aí. Há que se ter uma série de cuidados, principalmente nos três primeiros dias. Resumindo, tem que ficar de olho, de babá, não tem jeito. E mesmo assim, como no meu caso, se o cãozinho for levado, como o meu Fidel, tudo e mais alguma coisa pode acontecer!

Aguardo logo o término desse resguardo. Fico sem tempo, e muitas vezes sem paciência, para nada!

Um abração e até a próximo post! ;)

2 comentários:

  1. no final vai dar tudo certo, tenha paciência, o fidel com 7 dias já poderá ficar sem o colar e mais 7 no máximo a lesão se fechará por si só mas continue verificando se tudo esta ok todos os dias ...

    ResponderExcluir