8 de jan de 2012

Fala sério!

O preconceito nem sempre se apresenta de forma óbvia, explícita, aliás, o preconceito, no nosso dia-a-dia, costuma se apresentar de forma bem sutil, muitas vezes imperceptível, e é aí que mora o perigo!

Quando nascemos, somos tal qual um diamante bruto. Vamos nos lapidamos à medida em que recebemos informação no decorrer da vida. Ninguém nasce com algum tipo de preconceito.O preconceito vai sendo agregado as nossas vidas, a partir das orientações familiares, culturais, enfim.

Uma forma de preconceito, a meu ver, é, por exemplo, um programa de tv apostar na falta de educação, no palavreado chulo, como forma de se colocar como entretenimento para o povão. Não é! Não é porque a pessoa é pobre, que ela tenha que ser grosseira, vulgar ou falar errado. Todos nós merecemos o melhor - pobre ou rico!

Aqui em Friburgo, nós temos uma padaria que é atração turística, de tão bela, tão bonita e tão cheia de delícias. Não é incomum ler comentários na internet, de que essa padaria é só para a 'elite', que pobre não tem vez de entrar lá. Bem, além de não ser verdadeiro esse tipo de boato, porque algumas pessoas entendem que só o rico tem direito a entrar num lugar bacana, com serviços bacanas, e o pobre não? Isso é preconceito, minha gente!

Não podemos conceber a ideia de que uns têm o privilégio de ouvir boas músicas, ler bons livros, ir a bons lugares, falar corretamente, e outros, não.

Na vida, a gente tem que querer sempre o melhor para gente, não o mais ou menos, o medíocre, o de gosto  duvidoso. Todos nós, pobres ou ricos, merecemos o melhor, sempre!

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário