27 de jul de 2011

Camisinha em extrato de tomate gera indenização

A notícia é bizarra! Já imaginou você se deparar com um preservativo ao abrir uma lata de extrato de tomate? Que horror! Mas isso aconteceu com uma dona-de- casa gaúcha, em novembro de 2007, que lógico, ingressou com uma ação contra a detentora da marca, a Unilever.

Na ação, a autora narrou que depois de servir almôndegas no almoço foi retirar da lata o que havia sobrado do extrato de tomate (da marca Elefante) e encontrou o preservativo. Também informou que depois da descoberta ela e a família sentiram náuseas, inclusive com episódios de vômitos (não podia ser diferente!).

A empresa tentou se defender alegando que o processo de manuseio dos produtos se dá de forma automatizada, e portanto, não passa por manuseio humano.

Mas a 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS), por uninamidade, no dia 29 de junho, condenou a Unilever a pagar R$ 10 mil à dona-de-casa, por danos morais.

Agência Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário