27 de nov de 2010

Mundo cão

Adoro os animais, principalmente os cães. Chego a me importar mais com os irracionais, do que com racionais (estou sincera). Não consigo conceber a ideia de maus tratos. Os meus cães fazem o que querem, tanto que, carinhosamente, são chamados de monstrinhos, porque aprontam, de vez em quando. Mas nada se compara à alegria de ser acordada por eles me "intimando" a dar-lhes o seu café da manhã (religiosamente, uma salsicha e em seguida, cenoura).

Ter um bichinho dá vida a qualquer casa, mas também nos impõe certas limitações, portanto, vale pensar bem antes de ter um bichinho, principalmente, se for um cachorro, pois eles são muito dependentes. Esse negócio de adquirir um cãozinho e depois de um certo tempo enjoar é o fim da picada. Pegou para criar, tem que ir até o fim (e olha que muitos chegam a durar 15 anos). Embora sejam irracionais, eles sentem a rejeição. Portanto, se na sua vida não há tempo para cuidar de um bichinho, melhor não tê-los.

Vale outra reflexão: adote, não compre! Animal não é mercadoria! Muitos criadores tratam bem os seus bichos, mas não podemos garantir que seja 100% dos criadores. Há muitos bichinhos por aí procurando um lar. Portanto, leve isso em consideração também: adote!

Outra coisa: bichos dão despesa. Ração não pode faltar, mesmo que eles comam outras coisas. A carteira de vacinação também deve estar em dia. Os meus, todo ano, tomam todas as vacinas necessárias para que continuem bagunceiros e correndo pela casa com saúde. E para que eles possam continuar com boa saúde, não abro mão de um bom profissional, que assim como o pediatra que acompanha a criança em todas as suas fases, deve ser um médico veterinário que acompanhe também a saúde do seu pet. Eu indico o Marcelo Jacob (Bicho é muito bom!), ao qual vou mandar a conta depois pela propaganda que fiz (rs!). Ele pode ser encontrado através do telefone: (22) 2529 -0454 em Nova Friburgo. Sério, competente, objetivo,e o melhor, profissional (pq tem uns que se aproveitam para meter a mão no bolso. Não é o seu caso!).

Bom, o rapazinho da foto é o Gregório, da raça poodle. O temperamento do poodle é doce, são inteligentes (e por serem muito inteligentes, podem se entendiar facilmente), brincalhões e muito apegados também (o meu chega a ser um chiclete). Possuem o instinto de caça, podendo perseguir roedores, pássaros e outros animais de porte pequeno.

Os Poodles, pelo sistema CBKC podem ter quatro tamanhos:

TOY - até 28 cm
ANÃO - de 28 a 35 cm
MÉDIO - de 35 a 45 cm
GRANDE - de 45 a 60 cm

As cores mais comuns desta raça são: preta, branca, marrom e cinza. Possuem pêlos encaracolados, crespos e macios. A cor dos olhos dos poodles pode ser preta, âmbar escuro ou marrom. O focinho do poodle tem o formato retangular.

O meu outro cãozinho é o Vicente, vira-lata até a última pulga, mas com os mesmos cuidados que o Gregório.

Eu nunca tinha pensado na vida ter um vira-lata, sinceramente, mas o Vicente, ou monstro, é tudo de bom - brincalhão; levado; e muito, mas muito, guloso (daí o apeledinho de monstro). No caso do Vicente, ele é um excelente cão de guarda, dá sinal a qualquer barulho estranho, e só entra alguém aqui em casa com a sua permissão.



3 comentários:

  1. Cachorro é mesmo tudo de bom. O dia que me mudar para uma casa vai ser um problema, porque morro de pena de cachorros de rua e, possivelmente vou recolher todo mundo. Mas por enquanto fico com a Filó, a salsicha-lata que minha filha caçula adotou. E você acredita que estou no Rio direto tomando conta da canina ? Pois é, a filhota viajou e chamou o avô!!! rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Sorte da Filó. O avô dos meus filhotes, tadinho, não tem condições de ficar com eles, logo, não tenho condições de me ausentar, até pq eles são tropa de elite! Rs...

    ResponderExcluir
  3. não sei porque mas o vicente ainda vai me morder, o cãozinho mala :-)))

    ResponderExcluir