26 de mar de 2017

Construindo bons cidadãos

Hoje pela manhã, eu vi o meu vizinho aprendendo a andar de moto aqui na rua (detalhe, ele deve ter uns 13, 14 anos, talvez) e me lembrei de uma história contada pelo coordenador, o Ivo, de um colégio onde estudei.

Um dia, um menino, menor de 18 anos, pediu ao Ivo que ele lhe ensinasse a dirigir. Ok, sem problemas, disse o Ivo, que ficou de passar na casa do garoto no final de semana, oportunidade em que iria aproveitar para bater um papo com o pai do menino, seu amigo, e depois partir para a missão.

Durante a semana, por um acaso, Ivo se encontrou com o pai do garoto e comentou: Fulano, fiquei de ir à sua casa no sábado para ensinar o seu filho a dirigir. Poxa, você trabalha tanto que não conseguiu um tempo para ensiná-lo a dirigir ainda? E aí o pai do garoto respondeu: Meu filho é menor de idade, não tem nada que aprender a dirigir antes da hora. Quando ele fizer 18 anos, querendo aprender a dirigir, que se matricule em uma autoescola e tire a carteira!

Não preciso nem dizer que a cara do Ivo foi ao chão e que ele, claro, não apareceu no sábado programado na casa dessa família, né?

Quem já passou pela adolescência sabe que nessa fase os jovens têm pressa de viver, pressa de provarem pro mundo que já são adultos, enfim são afoitos. E se os pais não tiverem um bom psicológico e um pulso bem firme, podem se deixar seduzir pelos filhos e acabarem patrocinando, digamos assim, certas ações incompatíveis com a maturidade dessa garotada, como no caso de ensinar um filho a pilotar moto ou a dirigir um veículo antes dos 18 anos. Tá errado, não tá?

O que é certo, é certo, seja nas pequenas ações ou nas grandes ações. Educar também é dizer não e mostrar que as leis devem ser respeitadas, ainda que todos em volta estejam a desrespeitá-las. Assim se constrói bons cidadãos!

É isso!

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário