1 de ago de 2016

Uma coisa é pensarem por você, outra coisa é você pensar por si só

Nós recebemos um monte de mensagens erradas da família, da sociedade, desde muito cedo, e a partir daí a gente vai construindo um mundo de ilusão - o que os outros vão achar, como é que os outros vão pensar, e por aí vai. Nós fomos moldados a servir aos outros, não é verdade? Ou quando criança a sua família perguntou o que você queria ser quando crescesse, e te incentivou a ir em busca do seu sonho? Isso acontece, claro, até mais nos dias de hoje do que há alguns anos, mas no geral, os pais metem na cabeça da criança que, quando adulta, ela tem que ganhar dinheiro, pois é isso o que  importa; já esse negócio de 'faça o que te feliz, o que te realiza', só mesmo em filme e novela. E aí, a criança vai crescendo para agradar aos pais, à sociedade, mas não verdadeiramente a ela mesma.

Bom, é óbvio e evidente que cabe aos pais (entenda pais como quem cria, que pode ser avó, tia etc) a tarefa da formação intelectual e moral da criança. Mas que não se esqueça também do fortalecimento emocional. A autoestima é a mola que nos impulsiona pra frente. Quando a gente não tem autoestima elevada, como é que fica? Fica tudo um horror, fica tudo mais difícil.

E aí vem o X da questão: Ter boa autoestima nem sempre agradará os outros. Mas entre agradar os outros e a si, qual opção escolher? Geralmente é a primeira, porque a nossa educação nos levou a ver o mundo para os outros e nunca para nós mesmos.

Hoje, você está onde os outros te colocaram ou onde você queria estar? Você vive para agradar os outros ou para se agradar? É preciso insistir nessas indagações sempre, porque quando a gente começa a considerar pontos de vista diferentes, quando vamos um pouco mais além, a gente tende a  'cair na real'. Uma coisa é pensarem por você, outra coisa é você pensar por si só. Dá trabalho? Muito! Mas fortalece! É gratificante!

A ilusão, muitas vezes, é tão forte na vida das pessoas, que para dizer a verdade a elas é meio complicado. Não que a gente tenha a posse da verdade, mas tem certas situações que ficam tão 'na cara', tão óbvias, que não dá nem pra gente mostrar às criaturas iludidas, porque elas não aceitam de jeito nenhum. Aí, nesse caso, é melhor não insistir, pois cada um vive como quer e como gosta. Ser feliz e sofrer são opções de vida e não condição de vida, afinal, Deus tem mais o que fazer, do que ficar impondo sofrimento aos outros, né não? Pra isso, Ele nos deu o livre arbítrio, cabecinha pensante, para usarmos da melhor maneira possível.

Ser agradável para os outros, de forma natural, é muito bom. Forçar a barra, não é bom pra ninguém! Se você optar por sempre agradar os outros, todos ficarão bem, menos você! Pense nisso!

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário