3 de abr de 2013

Ser ou não ser? Esse assunto é babado!

Definitivamente, o tema mundo gay está na moda - seja de que forma for. A bola da vez é a cantora Joelma que, recentemente, em entrevista, comparou o gay a um drogado e ainda afirmou que se tivesse um filho gay lutaria até a morte para torná-lo heterossexual.

Como toda ação tem uma reação, segundo a lei da física, suas palavras não passaram em branco e vários anônimos e artistas vêm se manifestando contrários às declarações da cantora.

Eu não sei, sinceramente, porque as pessoas se preocupam tanto com a sexualidade alheia. Será que as pessoas saem às ruas perguntando a algum heterossexual o que ele faz em sua intimidade, entre quatro paredes?

O que é a fobia? Fobia é medo. Homofobia, portanto, é o medo dos homossexuais. Medo de gente, só porque a pessoa gosta 'da fruta que eu não gosto', francamente, não tenho! Aliás, nem eu, nem meu marido, nem mesmo dentro de casa, enquanto solteira, porque meus pais também nunca foram homofóbicos. Os meus pais, inclusive, nunca me proibiram de ter amigos gays.

Será que o medo pode ser um desejo reprimido? Sim, porque quem não tem medo, quem tem segurança da sua sexualidade, não haverá de ter preconceito com a preferência do outro. Eu tenho amigos, que eu não sei com quem eles se relacionam, mas se estão felizes, ok!

O que atrapalha o mundo é essa coisa do ser humano querer interferir na vida do outro. Quem cuida da sua própria vida, não está nem aí para o que o vizinho faz!

Eu me relaciono bem com qualquer pessoa, basta que ela me respeite. Se a pessoa é gay, hetero, trans, seja lá o que for, isso não me interessa, interessa a ela e a quem está com ela.

A gente precisa tratar a vida com mais simplicidade, com mais naturalidade e aceitar as pessoas como elas são e não como nós gostaríamos que elas fossem.

A vida é muito curta para a gente se preocupar mais com a vida dos outros, do que com a nossa própria vida!

Sem preconceitos, mundo! Peace & Love!

Um abração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário