25 de set de 2012

De estética à academia, serviços se popularizam

Até 91% das famílias de menor renda usam cabeleireiro, manicure, estética e academia

O uso de serviços pessoais, como cabeleireiro, manicure, estética, academia de ginástica e conserto de roupas, entre outros, têm sido usados pelas classes C, D e E, num percentual de 84% e 91% das famílias de menor renda. Nas classes A e B, esse indicador varia entre 92% e 95%, aponta a pesquisa sobre o perfil de consumo das famílias brasileiras, realizada pela Kantar Worldpanel.

A informação é do Estado Economia, e vem a reafirmar o que esse blog já comentou em outras oportunidades - Investir na indústria da beleza, com preços justos, bom atendimento e produtos de qualidade = investimento com retorno garantido. A vaidade e a preocupção com o bem-estar já deixou, há muito tempo, de ser um privilégio de classes, gêneros e idade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário